Logo PECE. Pular para página inicial
 

Ementa da Disciplina

CódigoGTS-022
DisciplinaEmpreendedorismo e Negócios Socioambientais
Objetivo Qualificar o que se entende como um empreendimento socioambiental;  Apresentar o ecossistema dos empreendimentos socioambientais e os papéis de seus diferentes atores;  Discutir os desafios de gestão e de governança desses empreendimentos;  Debater os conceitos de cadeia de valor de impacto e geração de valor socioambiental e os limites dos instrumentos de avaliação.
Público_AlvoO público alvo são gestores, lideres de projetos e profissionais, usuários ou geradores de soluções baseadas em Tecnologias Digitais e orientados a metas de desempenho do negócio onde atuam dentro da perspectiva de desenvolvimento sustentável.
Ementa1. Conceituação de Empresa Sustentável, Negócios Socioambientais e Organizações Híbridas. 2. Resgate histórico do surgimento de empreendimentos e negócios socioambientais 3. Sustentabilidade como desafio e oportunidade de negócio. 4. Espectro de Organizações híbridas: Negócios Socioambientais como tipo ideal de organização híbrida 5. Empreendedor Socioambiental (Liderança para um Negócio Social) 6. Ecossistema de empreendimentos socioambientais: diferentes atores e papeis 7. Caracterização de diferentes modelos de Empreendimentos Socioambientais 8. Desafios de gestão e governança de organizações hibridas: 8.1. Atividades organizacionais centrais (core business); 8.2. Composição da força de trabalho; 8.3. Desenho organizacional; 8.4. Relações Inter organizacionais; 8.5. Cultura organizacional (incluindo Gestão de Mudança) 9. Cadeia de Valor de Impacto e Geração de Valor Socioambiental. 10. Sistemas de indicadores e métricas para Avaliação de um Empreendimento Socioambiental 11. Mecanismos e Soluções de Mensuração, Governança e Prestação de Contas
Bibliografia1. Alter, S. K. (2006). Social Enterprise Models and Their Mission and Money Relationships. In A. Nicholls (Ed.), Social Entrepreneuriship: New Models of Sustainable Social Change (pp. 205-232). Oxford: Oxford University Press. Alter, S. K. (2007). Social Enterprise Typology. Virtue Ventures LLC, 1-31. Retrieved from http://rinovations.edublogs.org/files/2008/07/setypology.pdf 2. ASHOKA e INSTITUTO WALMART, Mapa de Soluções Inovadoras: Negócios Sociais e Negócios Inclusivos no Brasil: Descobertas e Aprendizados, 2013. - cap. 3 3. Austin, J., Stevenson, H., & Wei-Skillern, J. (2012). Social and commercial entrepreneurship: same, different, or both? Revista de Administração, 47(3), 370-384. doi:10.5700/rausp1055 4. Bakker, F. De, Groenewegen, P., & Den Hond, F. (2005). A Bibliometric Analysis of 30 Years of Research and Theory on Corporate Social Responsibility and Corporate Social Performance. Business & Society, 44(3), 283-317. doi:10.1177/0007650305278086 5. Battilana, J., & Lee, M. (2014). Advancing Research on Hybrid Organizing - Insights from the Study of Social Enterprises. The Academy of Management Annals, 8(July 2015), 1-44. doi:10.1080/19416520.2014.893615 6. Battilana, J., Lee, M., Walker, J., & Dorsey, C. (2012). In Search of the Hybrid Ideal. Stanford Social Innovation Review, 10(3), 49-55. 7. CALIL, L.P. Indicadores: o desafio de evidenciar mudanças. In: OTERO, Martina Rillo. Contexto e prática da avaliação de iniciativas sociais no Brasil: temas atuais. São Paulo: Editora Peirópolis, 2012 8. COMINI, G., BARKI, E. & AGUIAR, L.A., O novo campo dos negócios com impacto social. In Negócios com impacto social no Brasil. São Paulo: Editora Peirópolis, 2013. 9. Dahlsrud, A. (2008). How corporate social responsibility is defined: An analysis of 37 definitions. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 15(1), 1-13. doi:10.1002/csr.132 10. FISCHER, R. M. O desafio da colaboração: práticas de responsabilidade social entre empresa e Terceiro Setor. São Paulo, Editora Gente, 2002. (cap. 2 pg. 39 a 51 e cap 4 p. 73 a 100) 11. Fischer, R. M. (2014). Negócios Sociais. In R. de F. Boullosa (Ed.), Dicionário para a Formação em Gestão Social (pp. 125-127). Salvador - BA: 12. Guia 2,5 http://www.protestoverde.com.br/wp-content/uploads/2015/10/GUIA25_InstitutoQuintessa_Outubro2015.pdf 13 NAIGEBORIN, V. e AGUIAR, L., Mapeamento dos negócios com impacto social no Brasil, in Barki et al. Negócios com Impacto Social no Brasil. São Paulo: Editora Peirópolis, 2013. (Cap. 11, pg. 236 a 249) 14. Oliveira Filho, G. R., Kiyama, R. S., & Comini, G. M. (2013). Os Desafios de Mensurar o Impacto Social. In CIAGS/UFBA. E. Barki (Ed.), Negócios com Impacto Social no Brasil (pp. 211-235). São Paulo: Peirópolis. 15. Portocarrero, F., & Delgado, Á. (2010). Negocios Inclusivos y generación de valor social. In SEKN Negocios Inclusivos: Iniciativa de mercado com los pobres de Iberoamérica. (pp. 301-326). Washington - DC: IADB.
Duração (h)18
Título Escolha
Imagem do selo de Garantia de Qualidade POLI
Centro de Apoio ao Aluno: atendimento@pecepoli.com.br
Telefone: (11) 2998-0000 Fax: (11)2998-0054
Segunda a sexta-feira das 9h00 às 21h00.
Logo da USP - link externo ©Copyright 2010 PECE - Todos direitos reservados. Logo da Escola Politécnica - link externo