Logo PECE. Pular para página inicial
 

Ementa da Disciplina

CódigoGRS-004
DisciplinaEconomia, Consumo e Geração de Resíduos Sólidos
Objetivo Apresentar o pensamento da economia ecológica como perspectiva contemporânea para a sustentabilidade  Explorar novos sistemas de produção e distribuição da sociedade em rede passando pelas economias solidária, criativa e colaborativa.  Problematizar o consumo na sua perspectiva ética, cultural e política  Discutir a relação econômica do consumo com a geração de resíduos sólidos  Apresentar os princípios do consumo consciente  Ilustrar as inovações no modo de produzir, distribuir e consumir a partir de estudos de casos
Público_AlvoGestores de empresas dos setores privado e público, que são responsáveis pela gestão da sustentabilidade e, mais especificamente, pela gestão de resíduos de sua empresa dentro do contexto da Politica Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).
Ementa1. A evolução do pensamento econômico: da economia clássica à economia ecológica 1.1. Os principais pensadores da escola econômica 1.2. A perspectiva da economia ecológica 2. Inovações nos modelos de produção e distribuição 2.1. Os principais sistemas de produção da era industrial 2.2. As inovações nos sistemas de produção da sociedade em rede 3. Limites do consumo como vertente do desenvolvimento 3.1. O origem do consumo em massa 3.2. O consumo na construção da identidade 3.3. Consumo, desigualdade e felicidade 3.4. Consumo e geração de resíduos 3.5. Princípios do consumo consciente 4. Estudos de caso
BibliografiaABRAMOVAY, R. Muito Além da Economia Verde. (pgs. 15 a 29). São Paulo, Ed. Abril, 2012. BAUMAN, Zygmund. Vida para Consumo. Capitulo Consumismo versus Consumo (pg. 37 a 69), Rio de Janeiro, 2008. ( BAUWENS, Michael. Synthetic View of Collaborative Economy. P2P Foundation. Chaing Mai, 2012.) BAUWENS, Michael. The Political Economy of Peer Production. CTHeory.net. University of Victoria, 2005. BOULDING, K. "The Economics of the Coming Spaceship Earth". In H. Jarrett (ed.). Environmental Quality in a Growing Economy, pp. 3-14. Baltimore, MD: Resources for the Future/Johns Hopkins University Press, 1966. CECHIN, A.& VEIGA, J. "A economia ecológica e evolucionaria de Georgescu-Roegen." Revista de Economia Política, Volume 30. Número 3 (11), 2010, páginas 438-454, julho-setembro. FLORIDA, Richard L. The Rise of the Creative Class: And How It's Transforming Work, Leisure, Community and Everyday Life. New York, NY: Basic Books, 2002. () FONSECA, Ana Paula (Org). Economia criativa como estratégia de desenvolvimento: uma visão dos países em desenvolvimento. São Paulo. Itaú Cultural, 2008. (pgs. 15 a 49) FONTENELLA, Isleide A. "A Ética do Consumo". Revista da Psicologia Política. Vol.6, N12, 2006. ( GARDNER, Gary e Sampat, Payal. Mind Over Matter: recasting the role of materials in our lives. Worls Watch Paper 144, December, 1998. GRAHAM, C. The Pursuit of Hapiness. An Economy of Well Being. Washignton, DC. Brooking Institution Press, 2011. HELLIWELL, J. LAYARD, R. e SACHS, J. World Happiness Report 2015. Un Sustainable Development Solutions Network, 2015. http://erikassadourian.com/wp-content/uploads/2013/07/SOW-04-Chap-1.pdf http://mickpeterson.org/Classes/MEE320/Projects/wwp144.pdf http://siteresources.worldbank.org/INTURBANDEVELOPMENT/Resources/336387-1334852610766/Chap3.pdf http://www.worldwatch.org/global-consumption-trends-break-new-records http://www.worldwatch.org/node/810 http://www.worldwatch.org/system/files/GoodStuffGuide_0.pdf HUNT, E. A História do Pensamento Econômico. São Paulo, Campus. 2005. INSTITUTO AKATU. 12 Principios do Consumo Consciente São Paulo, 2006. INSTITUTO AKATU. Pesquisa nº. 7 - 2006: como e por que os brasileiros praticam o consumo consciente? Textos de Belinky, Aron; Echegaray, Fabián; Mattar, Helio; Rodrigues, Geisa; Velho, Christina. São Paulo: Instituto Akatu, 2007. INSTITUTO AKATU. Rumo à Sociedade do Bem Estar. São Paulo, 2012. MCDONOUGH, W. & BAUNGART, M. Cradle to Cradle: rethinking the way we make things. New York. North Point Press, 2002) MENZEL, Peter. Material world: a global family portrait. São Francisco, USA. Sierra Club, 1994. UN SUSTAINABLE DEVELOPMENT SOLUTIONS NETWORK Global Profile of Extreme Poverty and Hunger, http://unsdsn.org/wp-content/uploads/2014/02/121015-Profile-of-Extreme-Poverty.pdf PORTILHO, Fatima. "Consumo sustentável: limites e possibilidades de ambientalização e politização das práticas de consumo." Cadernos Ebape.br Vol.3 No.3. Rio de Janeiro, 2005. SACHS, J. "Twentieth-Century Political Economy: a Brief History of Capitalism". Oxford Review of Economic Policy, Vol.14 No.04, Oxford, Oxford University Press, 1999. SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. SINGER, Paul e SOUZA, André R. Economia Solidária no Brasi: a auto grstão como resposta ao desemprego. SãoPaulo. Editora Contexto, 2000. VICTOR, Peter. Managing Without Growth:: slower by design, not disaster. Cheltenham, UK. Edward Elger Publishing Limited, 2008. WORLD BANK. What a Waste: A Global Review of Solid Waste Management. Capitulo 3. URBAN DEVELOPMENT SERIES, 2012. WORLD WATCH INSTITUTE: State of the World: Special Focus - The Consumer Society. 2004 WORLD WATCH INSTITUTE: The Good Stuff Guide. 2004. WORLD WATCH INSTITUTE: The State of Consumption Today. WORLDWATCH INSTITUTE: Global Consumption Breaks New Records.2015
Duração (h)18
Título Escolha
Imagem do selo de Garantia de Qualidade POLI
Centro de Apoio ao Aluno: atendimento@pecepoli.com.br
Telefone: (11) 2998-0000 Fax: (11)2998-0054
Segunda a sexta-feira das 9h00 às 21h00.
Logo da USP - link externo ©Copyright 2010 PECE - Todos direitos reservados. Logo da Escola Politécnica - link externo